Prefeitura de Blumenau faz verificação nos veículos de fretamento da cidade

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes de Blumenau (SMTT) nos últimos dias fez a apreensão de diversos veículos flagrados atuando no fretamento de forma irregular na cidade, segundo a secretaria.

Somente na terça-feira, dia 15, um veículo foi identificado atuando no transporte de pessoas com o licenciamento atrasado e outros três com idade superior à permitida pela Lei Complementar 230/1999, que estabelece a idade máxima dos veículos de fretamento em 15 anos.

” Esses veículos, que são pegos em nossas blitz, geralmente atuam de forma irregular justamente por não estarem com os itens de segurança em dia, como pneus em bom estado de uso, por exemplo”, explica o diretor de transportes da SMTT, Lairto Leite.

Segundo Lairto, todos os veículos que operam nas várias modalidades de transporte em Blumenau são constantemente vistoriados e fiscalizados. Para trabalhar com fretamento/transporte de pessoas, os veículos precisam passar por uma vistoria a cada quatro meses junto à SMTT, ou sempre que necessário.

Antes da contratação de um serviço de transportes, a população também pode verificar se o veículo está cadastrado e garantir que ele seja periodicamente vistoriado.

O serviço de vistorias e fiscalização fica disponível na Rodoviária de Blumenau, localizada na Rua Dois de Setembro, 1.222. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30; e o telefone para contato é o (47) 3381-7000.

Transporte coletivo de Blumenau

De acordo com a SMTT, o transporte coletivo de Blumenau segue os itens estabelecidos pelo contrato de concessão do serviço. Este, assinado em 2017, estabelece que a idade máxima dos veículos integrantes da frota será sempre de 12 anos para os veículos pesados especiais e de 8 anos para os demais ônibus.

Com 191 ônibus, a média de idade dos veículos é de 5,5 anos, sendo o veículo mais antigo da frota com seis anos e o mais novo com 4 anos.

O problema do transporte público de Blumenau é, segundo a maioria dos vereadores da cidade, a falta de horários nas linhas mais distantes da cidade.

Mesmo antes da pandemia, que iniciou em 2020, e até depois, o número de passageiros que usam o transporte público vem caindo e o número de carros, motos e outros meios de locomoção tem subido.

Isso tem causado constantes engarrafamentos em Blumenau, mesmo fora dos horários de pico. O grande questionamento dos parlamentares são os repasses obrigatórios, por conta do contrato, feitos pela Prefeitura de Blumenau para a Blomob por conta de as receitas não serem suficientes para suprir as necessidades da empresa contratada, entre custos e lucro.

Esse contrato foi assinado entre a empresa Piracicabana e a Prefeitura de Blumenau no ano de 2017, quando o prefeito era Napoleão Bernardes e o vice era o atual prefeito, Mário Hildebrandt, e o presidente do antigo Seterb era o mesmo da SMTT, Alexandro Fernandes.   

Adicionar comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Acompanhe

Entre em nosso grupo do Whatsapp e nos siga em nossas redes

Patrocinadores