Ministro Padilha vem para Santa Catarina no sábado para analisar as cheias

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), vem representando o presidente Lula (PT) no próximo sábado, 21, na viagem que fará para Santa Catarina.

A informação foi dada pela deputada federal Ana Paula Lima (PT), vice-líder do Governo na Câmara, e virá para ver as condições das cidades atingidas pela enchente nas últimas semanas.

De acordo com Ana Paula, ela solicitou a presença do ministro em Santa Catarina depois de receber um pedido dos prefeitos das cidades do Vale do Itajaí que estão em situação de emergência.

Ele chegará às 9 horas no aeroporto Quero-Quero, em Blumenau, e deve conversar com os prefeitos da região na sede do Consórcio Intermunicipal do Médio Vale do Itajaí (CIMVI), em Timbó.

“Vamos fazer uma força-tarefa para agilizar a reconstrução das cidades e garantir os recursos do governo do presidente Lula para o nosso Estado. A presença do ministro Alexandre Padilha ajudará nesta articulação com os ministérios e com o Congresso Nacional. O presidente Lula tem compromisso com o povo catarinense”, disse Ana Paula.

Participam da reunião com o ministro o presidente do nacional do Sebrae, Décio Lima (PT), prefeitos de diversas cidades, representante do Governo do Estado e da Defesa Civil e lideranças empresariais.

Às 11 horas Alexandre Padilha dará uma entrevista coletiva para detalhar o que o Governo Federal pretende fazer e quais os próximos passos que se dará para socorrer os municípios que necessitam de um apoio emergencial.

PT recorre ao MPSC

O diretório municipal do PT de Itajaí entrou com uma representação no Ministério Público de Santa Catarina questionando o governador Jorginho Mello (PL) pela carona dada ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) na última quinta-feira, 12, quando sobrevoaram as áreas atingidas pelas cheias no Alto e Médio Vale do Itajaí.

Segundo os petistas, o governador do Estado teria cometido ato de improbidade administrativa por ter usado a aeronave do Governo para levar membros do seu partido em uma agenda oficial. Além de Jair Bolsonaro, viajaram com Jorginho Mello a deputada federal Júlia Zanatta (PL) e o senador Jorge Seif (PL).

O PT sustenta também que Jorginho Mello teria concedido publicidade indevida ao ex-presidente da República, pois ele não é mais uma autoridade constituída e não tem nenhum conhecimento técnico específico que poderia justificar o ato.

Na denúncia, os advogados do Partido dos Trabalhadores escreveram que “o ex-presidente prontamente se autopromoveu e utilizou do recurso publicitário pago com dinheiro público para postar em suas redes sociais, conferindo ampla publicidade à sua visita nada institucional às regiões catarinenses afetadas por enchentes e inundações”.

Adicionar comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Acompanhe

Entre em nosso grupo do Whatsapp e nos siga em nossas redes

Patrocinadores