Júlio Garcia é o deputado mais influente na Assembleia Legislativa de SC

Na tarde desta quarta-feira, 25, o deputado estadual Júlio Garcia (PSD) deu uma entrevista para o jornalista Emanuel Soares, da rádio Jovem Pan News Floripa, e mostrou todo seu entendimento da política estadual.

No início de 2023 foi ele quem comandou a vitória do atual presidente do legislativo catarinense, deputado Mauro de Nadal (MDB), conseguindo juntar a maioria das bancadas contra a superioridade do PL, que hoje tem 11 deputados na Alesc.

Naquela ocasião, o PL apoiava o nome de José Milton Scheffer (PP) para presidente e já afirmava que tinha votos suficientes para elegê-lo. Júlio chamou Mauro de Nadal e começou a articular o desmanche dessa narrativa que, no fim, acabou com a vitória do emedebista.

Na entrevista, Garcia disse que a articulação política depende de muitas pessoas e ele não se considera um dos maiores e nem um dos melhores articuladores políticos. Ele diz que dá a sua contribuição na medida do possível, mas com as suas limitações que, segundo ele, não são poucas.

Perguntado da sua habilidade de conversar com as mais diferentes correntes políticas, Júlio disse que “tem uma palavra que resume tudo o que a gente pode fazer em termo de conversação política… quando as relações são presididas por essa palavra, o sucesso é quase que garantido, que é a palavra respeito. Você respeitar as pessoas, respeitar as diferentes, respeitar pensamentos divergentes, enfim, essa é a forma”.

Ele diz que aprendeu muito com diversos articuladores políticos, como Jorge Bornhausen e Luiz Henrique da Silveira, e essa convivência lhe deu uma experiência para que se possa exercitar a tarefa de fazer política.

Sobre as eleições de 2024, Júlio Garcia comentou que os diretórios municipais do PSD terão autonomia para decidir sobre as coligações. Segundo ele, o partido tem algumas preferências, mas não exclui ninguém de uma possível aliança.

Ele entende que ainda é muito cedo para qualquer decisão e que é preciso esperar para saber qual caminho será o melhor em cada município.

Garcia disse que nunca almejou se candidatar ao cargo a governador do Estado e que já assumiu por duas vezes interinamente e já ficou satisfeito por ter tido a oportunidade, em 2006, de aprovar a lei das Apaes enquanto esteve na cadeira mais importante de Santa Catarina.

Depois de conhecer a Apae de São Martinho, no sul do Estado, ele decidiu fazer um projeto de lei que garantisse recursos para essas instituições que, segundo ele, fazem muito melhor o trabalho de cuidar de quem tem alguma deficiência do que faria qualquer governo.

Fato é que Júlio Garcia tem um olhar muito firme nas eleições dos municípios do sul do Estado, mas sem dúvida também será ouvido nas decisões do partido naqueles lugares onde haja um olhar mais estratégico já visando as eleições de 2026, como nos casos de Florianópolis, Joinville, Criciúma, Chapecó e Blumenau.

Adicionar comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Acompanhe

Entre em nosso grupo do Whatsapp e nos siga em nossas redes

Patrocinadores