Mais duas cidades catarinenses terão a disputa entre PSD e PL

O suplemente de deputado estadual Gerri Adriani Consoli, que é o pré-candidato do PSD em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, bem que tentou a aproximação com o PL de Jorginho Mello, mas o deputado estadual Oscar Gutz rechaçou a parceria com o PSD.

Gutz é o coordenador político na região e já afirmou que o pré-candidato do seu partido na cidade é Manoel Arisoli Pereira, o Maneca da Celesc.

A intenção é acabar com uma dinastia de 20 anos do PSD em Rio do Sul, mas Gerri, que tem o apoio de lideranças como o ex-deputado estadual Milton Hobus, hoje, é o preferido do eleitor riosulense.

Em 2023, o deputado Júlio Garcia (PSD) se licenciou da Alesc para permitir que Consoli ficasse por 30 dias no parlamento.  

Balneário Camboriú é outra cidade que o PSD e o PL devem ser protagonistas. O PSD prepara, em março do ano que vem, a filiação da vereadora Juliana Pavan, filha do ex-governador Leonel Pavan, que já está no partido e é o pré-candidato a prefeito em Camboriú.

Os pessedistas se reuniram na quarta-feira, 8, no escritório de Leonel Pavan em Balneário Camboriú e começaram a traçar as estratégias para a eleição nas duas cidades.

Além de Leonel e Juliana, estavam na reunião o presidente estadual do PSD, Eron Giordani, os deputados estaduais Júlio Garcia e Napoleão Bernardes, o futuro presidente municipal do partido, o advogado Fabiano da Silva, e a deputada estadual Paulinha, que também deve assinar ficha no PSD.

Já pelos lados do PL, há uma queda de braço entre o prefeito Fabrício Oliveira e o deputado estadual Carlos Humberto Metzner. Enquanto Metzner insiste em ser o candidato do partido em 2024, Fabrício exige o cumprimento do acordo firmado em 2022.

Naquele ano, o MDB fazia forte oposição ao governo municipal de Balneário Camboriú, mas Fabrício costurou um acordo com o deputado estadual Mauro de Nadal (MDB), com o presidente estadual do MDB, deputado Carlos Chiodini, e com o governador Jorginho Mello e levou o partido para dentro do seu governo.

Foi combinado que o MDB ganharia secretarias na administração, apoiaria a candidatura de Carlos Humberto para a Assembleia Legislativa e em troca receberia o apoio do PL para indicar o candidato a prefeito em 2024 tendo os liberais de vice.

A única obrigação de Carlos Humberto, depois de eleito, era não disputar as eleições municipais do ano que vem, mas parece que ele não pretende cumprir o acordo e diz que o PL escolherá seu candidato a partir de uma pesquisa.

Metzner já conseguiu o apoio de outros deputados estaduais do PL, como Ivan Naatz e Oscar Gutz, e quer convencer o governador que ele é a melhor escolha para disputar a prefeitura de Balneário Camboriú contra possivelmente Juliana Pavan.

Resta saber se o MDB irá engolir tal situação sem se rebelar, pois até Fabrício Oliveira pode se manter neutro em 2024 se a costura feita em 2022 não for mantida.

Adicionar comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Acompanhe

Entre em nosso grupo do Whatsapp e nos siga em nossas redes

Patrocinadores