A primeira reunião do MDB depois da despedida de Egídio Ferrari

O MDB de Santa Catarina fez mais uma reunião da sua executiva em Florianópolis na manhã de terça-feira, 20, para discutir o calendário eleitoral e também algumas demandas importantes para as eleições de 2024.

O que chamou mais a atenção é que foi o primeiro encontro depois do deputado estadual Egídio Ferrari informar o presidente do partido, deputado Carlos Chiodini, que não iria mais se filiar no MDB e que tinha aceitado o convite do governador Jorginho Mello para fazer parte do PL.

O MDB queria ter um candidato em Blumenau para tentar fazer com que o MDB da cidade ressurja das cinzas, mas parece que não será desta vez que os emedebistas blumenauenses vão ver o partido eleger alguém nas eleições deste ano.

Então o MDB deve continuar na coligação do prefeito Mário Hildebrandt (PL) e vai investir mais em Itajaí, onde Carlos Chiodini já se colocou como pré-candidato a prefeito. O MDB quer fazer uma parceria com o PL no litoral, assim como defende o prefeito Fabrício Oliveira em Balneário Camboriú.

Com toda essa engenharia, vê-se que os partidos estão atrás de verdadeiros monopólios partidários para elegerem os seus candidatos.

Não se sabe como será o comportamento das principais siglas depois das eleições municipais até a eleição de 2026, mas em 2024 valerá fazer parceria com qualquer partido para eleger o seu candidato.

Hoje, os protagonistas nas eleições de Santa Catarina estão sendo o PSD, o PL e agora também o MDB, que começa a se movimentar para chegar na sua meta que é ganhar em 100 das 295 prefeituras de Santa Catarina.  

Adicionar comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

Acompanhe

Entre em nosso grupo do Whatsapp e nos siga em nossas redes

Patrocinadores